Sites Grátis no Comunidades.net Criar um Site Grátis Fantástico

G.R.E.S. BOÊMIOS DE INHAÚMA





Total de visitas: 22453
SAMBAS-ENREDO ANTIGOS

1991
Enredo: Desperta Brasil
Compositores: Bibi, Cidinho, Jorge P.I. e Serginho da Banda

Amanheceu...
E vi surgir um novo dia
Da nossa gente pensando em preservar
A ecologia

Desperta Brasil! (Brasil)
Isso não é brincadeira
Cuidado com a soberania
E os invasores de fronteira

Até os nossos animais
Não podem viver em paz
E a cada dia Amazônia se desfaz

Que covardia, quanta destruição!
Morre o índio e a natureza
No jogo da ambição
Essas queimadas fatais
Devastam nossas matas
O pantanal, e muito mais

E o Velho Chico!
Já não pode respirar
Poluíram suas águas
Não há mais peixes p’ra nadar
Óleos sujam as praias
Atomizar não é legal (não é legal)
Se nós temos p’ra viver (viver)
A energia natural

Obrigado Chico Mendes
O seu sonho não morreu
Virou semente a idéia
E uma esperança nasceu


1992
Enredo: O Nascimento dos Orixás
Compositores: Nino, Marcos e Marcelo

Surgiu
Do infinito os orixás
Trazendo uma linda historia de amor
Que a Boêmios vem mostrar
Com todo seu esplendor
Olorum o deus supremo
Ordenou a Obatalá
Que criasse o mundo
Mas Exu não quis deixar

Oduduá aproveitou ô ô ô ô
Roubou o saco da criação
Com cinco galinhas de angola fez a terra
Tornou-se o rei da criação

E ao despertar de Obatalá
Percebendo toda a trama de Exu
Com Oduduá a se irmanar
Criando Angaju e Iemanjá
Desta união nasceu
Orugan que pela mãe se apaixonou
Dos seus sexos derramaram
Duas gotas de cristais
Abriu-se o ventre e nasceram os orixás

Ogun, Oxum, Xangô
Nanã e outros mais
É na Bahia
Que cultuam os orixás


2000
Enredo: A Borboleta da Imaginação pousa em sua flor maior. Os Bambas de Inhaúma
Compositores: Mario Jorge, Cizinha, Marquinho, Junior e Marcelinho

Lá se vão quase 500, faz que tudo começou
Onde o índio, brancos e negros
Por aqui se encontrou
No engenho de açucar, na fazenda de café
Para os bambas de Inhaúma muito axé
BETO BAIANO com o seu COLUMBADÊ
ROBERO SILVA um ESCURINHO DIREITINHO
COLOMBO o HOMEM DO PACOVAL
BAIANINHO do PAVÃO MISTERIOSO
PELO MUNDO ENCANTADO, DARCY DA MANGUEIRA viajou
E CARLINHOS em PILARES, para o samba despontou

Que saudade
De CLEMENTINA e sua luz
BUCY, MARÇAL, MUSSUM
ARI, OSWALDO, NELSON e JESUS
Que saudade de ver o MOA jogar
Como era lindo ouvir PIXINGUINHA tocar

Figura nobre esse ser iluminado
ZÉ KETTI com seu dom visionário
Nas asas da águia voou
MASCARA NEGRA e A VOZ DO MORRO, ele cantou
Que maravilha, ver minha flor maior
Ser ENREDO DO MEU SAMBA
Que lindo ALVORECER
SE NASCI PARA SOFRER
Com Dona Ivone canto TIÊ...TIÊ...

TIÊ...TIÊ, olha lá Oxá
A Boêmios esta em festa
Tá que tá


2001
Enredo: Das trevas à luz, oh! Mãe África okê arô
Compositores: Alexandre de Jesus, Adir de Oliveira, Manoelzinho Solidão e Tereza

Axé, mãe África, axé
A Boêmios cobre as trevas
Com seu carnaval de luz
É a alegria de Olodumaré
Abrindo os portais do além
Orinsalá recebe o saco da criação
Mais com sua altivez
Repele o arrogante Exú
Que o impede de cumprir sua missão

Oduduá saiu das trevas
Água encontrou
Do saco tirou terra que espalhou
Ilé, Ifé os orixás consagrou

Olofin rei de Ifé
Reuniu em seu palácio
Uma grande multidão
Para celebrar com o povo
O início da colheita
Onde os escravos lhe faziam saudação
Surgiu o pássaro encantado
Que a feiticeira enviou
Ao receber a oferenda
Só uma flecha de Oxóssi o matou

Divina luz que trouxe
Oxóssi o caçador
Oxóssi é rei das matas
Meu pai Okê Aro


2003
Enredo: Do Oiapoque ao Chuí, yes sou mais Brasil
Compositores: Tereza de Jesus, Alexandre de Jesus, Carlinhos Magrinho, Cizinha do Cavaco, Eraldo Madureira, Marquinhos de Inhúma

Viajando conheci
A cultura brasileira
Que essa terra tem riqueza
Folclore que é uma beleza
A vaquejada eu assisti
Maracatu como dancei
No realejo tirei a sorte
Na dança da roça e no frevo me acabei
É garantido e caprichoso de Parintins a tradição
Quanta riqueza, luxo e beleza
É canarinho a nossa Seleção

Acarajé, Vatapá e Mungunzá
Churrasco Gaúcho pra saborear
A feijoada que maravilha
Com o garfo brasileiro eu vou brincar

Terra boa, tudo que se planta dá
Somos o pulmão do mundo
Nós temos Ayrton Sena estrela (na memória)
Que não deixa de brilhar
É o exemplo para as crianças
Que em nosso carnaval é a esperança

Sem guerras tufões
Vendavais e vulcões
O meu clima é tropical
E a beleza é natural
Olho meu céu azul de anil
do Oiapoque ao Chuí yes sou mais Brasil


2005
Enredo: O místico, o sagrado e o profano... Boêmios exalta o folclore brasileiro
Compositores: Diego, Hemerson, Henrique reis, Thiago, Fael Ribeiro, Ciganerey, Juçara Silva, Hugo Cesar, Marcelo Silva e Suse Helen

Os braços e Oxalá regendo a terra e o mar
Com sincretismo no folclore popular
O místico o sagrado e o profano
A Boêmios abre o pano
E faz o nosso povo delirar
Nesta festa do divino
A cultura portuguesa encontrei
Pombas, fogos e águas
Simbolizando o sagrado pro Rei
Com Bumba – meu – Boi comemorar
E as três etnias festejar
Nesta avenida eu quero é mais dançar

Maracatu, Maculelê e Carvalhada
Bumba – meu – Boi meu Boi Bumba tem Marujada
Filho de Caboclo o negro é rei nas batucadas

Hoje folias de reis vão relembrar
A visita a Belém e exaltar
Ao menino Jesus
E na festa de Iemanjá
A protetora vamos corar
Pentes, perfumes e flores
Refletem amores no seu caminhar
Tem na Bahia a lavagem do Bonfim
Lá em Olinda o frevo é popular

Bate forte bateria é carnaval
Tem festança no terreiro
O ano inteiro
Viva o folclore brasileiro